Redes Sociais:
HomeNotíciaComportamentosUnesco preocupada com desemprego em Moçambique

Unesco preocupada com desemprego em Moçambique

O país apresenta uma taxa de 40% de desemprego nos jovens. Preocupada com a situação, a agência da ONU aposta na sensibilização das comunidades para inserção em cursos técnico-profissionais.


África 21 Digital com ONU News


Foto: Banco Mundial


Palestras sobre a importância do ensino técnico-profissional marcam neste dia 15 de julho o Dia das Habilidades Juvenis em Moçambique.

A iniciativa, apoiada pela comissão nacional da Unesco em Moçambique, em parceria com  a direção nacional do ensino técnico-profissional, Dinet, e a Colleges et instititutes de Canada, tem como objetivo facilitar o diálogo entre atores no ensino técnico-profissional e viabilizar o contato com iniciativas existentes na área.

Manuel Caetano, técnico pedagógico da direção nacional do ensino técnico e ponto focal do centro da Unesco, Unevoc – Moçambique, contextualizou a situação atual das habilidades juvenis no país.

Estatísticas

“Cerca de 40% de jovens são desempregados e a tendência deste número é aumentar cada vez mais. É por essa razão que a Unesco esta muito preocupada com a questão de empregabilidade juvenil. Pretende-se de facto tirar o jovem desta situação de desemprego, então, é um grande desafio para nós no sentido de que possamos de fato reduzir o número de desemprego em Moçambique”, afirmou.

O ponto focal do Centro da Unesco alertou que as dinâmicas do mercado são algumas das causas do elevado índice de desemprego que o país vive.

“O desalinhamento entre aquilo que se ensinava nas escolas e aquilo que é a exigência do empregador, é por essa razão que nós embarcamos pela reforma no sentido de formarmos técnicos que o mercado de emprego precisa. Temos vários campos profissionais como agricultura, agro-processamento, administração e gestão, hotelaria e turismo, agora a mineração é uma área emergente devido à recente descoberta de recursos naturais em Moçambique”, acrescentou.

Desafios

A Unesco considera que uma das formas para reduzir o número o desemprego é sensibilizar as comunidades com vista a permitir a participação das meninas nos cursos técnico-profissional.

“Educarmos as comunidades no sentido de que a rapariga também tem que abraçar a área técnico-profissional, muitas das vezes as comunidades podem não perceber mas  área técnico-profissional é de grande importância, porque tem havido casos de meninas que tem abraçado os cursos e tem de facto bons êxitos na área de educação profissional”, aponta.

Em Maputo, o dia será preenchido por palestras e exposições de demonstração de habilidades técnicas e profissionais envolvendo estudantes e empregadores.

Compartilhar

Escrito por: África 21 Digital

Nenhum comentário

Deixe um comentário