Redes Sociais:
HomeSem categoriaGeneral Fernando Miala é o novo chefe dos Serviços Secretos angolanos

General Fernando Miala é o novo chefe dos Serviços Secretos angolanos

O presidente de Angola, João Lourenço, deu hoje (13) posse ao general Fernando Garcia Miala – que chegou a ser condenado a quatro anos de prisão durante a presidência de Eduardo dos Santos, por alegado crime de insubordinação – no cargo de chefe do Serviço de Inteligência e Segurança do Estado (SINSE). Fernando Miala foi promovido de tenente general ao grau de general.


África 21 Digital com agências


Foto: Angop

O novo chefe do SINSE substitui o comissário Eduardo Filomeno Octávio, exonerado hoje. Na cerimónia de posse, que decorreu nesta terça-feira no Palácio da Cidade Alta, João Lourenço  disse que Fernando Miala, embora empossado numa conjuntura de paz no país, tem grandes desafios .

Segundo o presidente angolano, a experiência deste responsável militar, que já havia exercido o cargo há anos atrás, vai contribuir para a melhoria da eficácia do trabalho dos serviços de inteligência.

“Fomos buscar alguém que, como poucos, passou praticamente por todos os serviços de inteligência no nosso país”, disse, citado pela Angop.

Durante a presidência de José Eduardo dos Santos,  Fernando Garcia Miala, antigo diretor dos Serviços de Inteligência Externa de Angola, foi condenado, a 20 de setembro de 2007, a quatro anos de prisão efetiva pelo Supremo Tribunal Militar (STM), pelo crime de insubordinação, tendo cumprido a pena, noticiou a Lusa.

Três outros colaboradores de Fernando Miala foram condenados a dois anos e seis meses de prisão efetiva.

Miala foi acusado de crime de insubordinação, por alegadamente não ter comparecido numa cerimónia de desgraduação no Estado-Maior General das Forças Armadas Angolanas, presidida pelo general Francisco Furtado.

O novo chefe dos serviços secretos foi também acusado de interferir nas missões da escolta do chefe de Estado, de realizar escutas não autorizadas, do furto de aparelhos de escuta, e de se envolver em relações “promíscuas” com jornalistas.

Compartilhar

Escrito por: África 21 Digital

Nenhum comentário

Deixe um comentário

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!